A Herança Maldita que Lula deixou para Dilma…

12.Fevereiro.2011

Carta ao Leitor…

Antigamente era péssimo
Vi no site Gizmodo.com o comediante americano Louis C.K., numa entrevista a Conan O’Brien, dizer que estamos numa época maravilhosa de tecnologia, “estragada por uma geração de idiotas mimados”. telefone
Talvez ele tenha razão. Parece que quanto mais fácil nossa vida se torna, mas algumas pessoas raclamam. Isso quando não saem dizendo que “antigamente era melhor”. Conversa mole. Era bem pior.
Não vou nem lembrar que se morria de gripe, tuberculose e tétano, por exemplo. Ou que uma pessoa com Aids, câncer ou mesmo coração fraco podia encomendar o caixão, porque não havia chance de sobreviver. Hoje poucos morrem disso, depois de anos de sobrevida.
Antigamente, digamos nos anos 60-70, quando eu era criança, minha mãe tinha que comprar água do aguadeiro que passava com um jegue (e não era água para beber, como hoje voce pede por motoboy – era água para tudo). Hoje basta abrir a torneira.
Tá certo, quando a Emasa deixa a água rolar…
O telefone era um troço preto, pesado, onde voce tinha que girar um disco para cada número. Como lembrou Louis, quando o número tinha zero, se xingava a pessoa, por ter que girar todo o disco (o zero era o último número).
Hoje é sem fio e voce não precisa levantar no meio da noite para atender na sala.
A estrada de Ilhéus a Olivença, até os anos 90, era de terra, toda esburacada, e voce levava mais de uma hora para atravessar no seco.
Até os anos 90, se voce precisasse falar com alguém por telefone na rua, tinha que achar um orelhão funcionando. Se estivesse de carro, estacionava e procurava o tal orelhão.
Se quebrasse na estrada à noite, só restava rezar. E antes de FHC, ter linha custava R$ 5 mil e voce esperava dois anos.
Antigamente a tv local só tinha dois canais. Tá bom, continua só com dois canais, mas a gente tem a opção da tv a cabo e seus mais de cem canais. As tevês de tubo, que ainda por cima eram preto e branco, deram lugar para telas ultra-finas de LCD ou LED.
Os filmes voce via em video-cassette, com fitas que embolavam e tinham uma qualidade baixa. A música era em LPs que ficavam pior a cada passada da agulha ou cassette cheios de defeitos.
Hoje assisto filmes em Blu-ray com qualidade maior que a do cinema e som 7.1.
E a música é digital, baixada confortavelmente pela internet para ouvir na hora. Antes, tinha que ir numa loja, comprar o disco (que chegava meses depois do lançamento) e ter cuidado para não riscar.
Ia viajar? Tinha que comprar um mapa (numa loja), que desdobrado tomava toda a frente do carro. Hoje até meu celular tem GPS com mapas.
Para falar com alguém em outra cidade, só por carta, telegrama ou ligação DDD cara. Para documentos, fax preto e branco quase ilegível. Hoje vai tudo pela internet, instantâneo.
Podia seguir com muitos exemplos, mas fico por aqui.
Antigamente só era melhor em duas coisas: voce era mais jovem e os políticos mais sérios. Fora isso, antigamente se desejava o que temos hoje.

As heranças de Lula
No fim do ano escrevi que Lula deixou “herança maldita” para Dilma na economia, pela luxúria de gastos de novo rico mostrada por ele nos 8 anos.
O resultado é o corte de R$ 50 bilhões do orçamento, incluindo investimentos, a volta da inflação, dívida interna de R$ 1,5 trilhão (triplicada em relação à que ele herdou de FHC).
Mas acho que Dilma tem mostrado pé no chão suficiente para resolver isso. Pelo menos não inventa um factóide por semana e trabalha mesmo.
Ainda acho que Serra seria melhor, mas Dilma tem tomado atitudes muito boas. Por exemplo, corrigiu uma excrescência lançada por Lula em seu primeiro governo: tirou as cores vermelho e preto da logomarca do governo.
Ela volta a ter só as cores da bandeira: verde, amarelo, azul e branco. Falta tirar a estrela do PT que Dona Marisa I, a Amorfa, colocou no jardim de Burle Marx.
Dilma também tocou num ponto crítico, que comento há tempos: “É preciso acabar com esta trágica ilusão de ver aluno passar de ano sem aprender quase nada”, disse.
Este sistema de ensino, inventado pelo PT e abraçado pelo PSDB, pode ser bonito na teoria, mas na prática…
O aluno se forma no 2º grau sem saber ler nem escrever direito e sem conhecimento.
Pior, entra “na sorte” em alguma faculdade caça-niqueis e se forma advogado, jornalista, professor (!).
Dilma deve ter coragem e acabar com este sistema. Já.

Marcel Leal
marcel@grapiuna.com

Cartas anteriores:
Um país de ignorantes
Aprovaram sem ler
Brasil Bolivariano 2
República Bolivariana do Brasil
A história se repete (infelizmente)
Uma reforma politica
Sobre o delegado Nélis Araújo Jr
Ilhéus faz parte de minha vida
O crime começa em casa
Razões da insistência, 23 anos de A Região
Votando infielmente
O besteirol da reparação
Uma cidade pequena
Geddel e Paulo Souto
Luis Eduardo Magalhães, 55 anos
Serra e Dilma
Walter Scott Vicentini
O apagão dos Niltons
Uma data histórica
A jogada errada de Geddel
Fala sério, prefeito
O jogo politico de 2010
Ceplac: fim de ciclo?
A novidade da década (Obama)
O TSE e a internet
Comércio aberto à noite
Sobre o novo Porto Sul
Geddel surpreendido pelo PT

Anúncios

Sobre REGINALDO GERMANO

Reginaldo da Silva Germano, nascido em 21 de Setembro de 1954, na Cidade do Rio de Janeiro, no Bairro de Acari, Casado pai de quatro filhos, Avô de seis netos, com formação superior incompleta, Radialista, Ex-Deputado Federal por dois mandatos, Pastor Evangélico, Fundador e Presidente da Igreja do Evangelho e do Amor de DEUS, situada na Rua Tonico de Pina, 440, Cidade de Anápolis, Estado de Goiás, Brasil.
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s